terça-feira, novembro 11, 2008

Desculpa...

Desculpa...


Mas já chega.
Melhor, não chega.
Quero mais para mim.

Não quero ar a preencher-me.
Quero substância. Dádiva. Orgulho naquilo que temos.
Quero dizer "É ele... é ele que, mesmo que efemeramente,
está aqui dentro".
Sei que se te abraçar com força não consegues respirar.
Mas quero ansiar pela hora que marcaste comigo.
Quero contar os minutos para o teu telefonema.
Quero não ter vergonha de me preocupar contigo.
E quero ser tua amante, namorada, mãe, amiga e irmã.
E tenho medo. Medo de querer tudo e depois não querer nada.
Medo de querer demais, e ficar sem nada.
E quero me sentir confortável connosco. Comigo. Contigo.
Com isto.
Quero ser mais para ti. Muito mais.
Merda de insatisfação.
Quero que sintas a minha falta.
Quero que penses para ti " ah, se estivesses aqui agora..."
E quero que contes comigo.
Quero-te todo.

Prefiro o nada à metade.

1 comentário:

>> nim disse...

este post fez-me lembrar esta música...

http://www.youtube.com/watch?v=wYWv_NSBZQI

há muito tempo que não a ouvia. e já tinha saudades. obrigado.