sexta-feira, dezembro 05, 2008

Contos IV

A chuva batia nos vidros com força, lembrando-lhe uma banda de percursão frenética. De qualquer modo o conforto das quatro paredes parecia-lhe agora desconfortável. Pensou "A vida está lá fora, a morte aqui dentro". Tirou os olhos da janela, virou costas, e lançou-se corredor fora, arrancando um sobretudo do cabide da entrada e bateu a porta da rua.
Atirou-se à chuva, à vida, aos estranhos que deambulavam pelas ruas à procura do mesmo que ela.
Lá fora, ela parou, tirou o capuz da cabeça, levantou os olhos para ver os pingos que caíam e a forçavam a piscar os olhos. Sentiu cada gota que bateu e se desfez na sua pele. Olhou em frente de novo. E andou. Andou horas, tristezas, molhas, frios.
O conforto era o mesmo que sentia no calor de casa - pouco. Muito barulho. Trânsito. Fumos dos tubos de escape. "Fumos", lembrou-se, e acendeu um cigarro. Agora levantava uma aba do sobretudo para tapar o rosto e não molhar o cigarro. Encontrou um túnel escuro e ali refugiou-se, encostada a uma parede,queimando pensamentos a cada bafo, deixando-os desfazer-se com o fumo que saía pela sua boca.
Lembrou-se de tudo o que tinha: casa, emprego, família, carro, amigos.
Mas sentia um vazio. O mesmo que ela procurava preencher com a água que caía.
Atirou a beata para o chão molhado e voltou para a chuva. E ao primeiro homem com que se cruzou agarrou-lhe o braço e perguntou "sabes o que procuro? És tu que o tens, e escondes, e guardas de mim?". O homem arrancou o seu braço das mãos dela e seguiu com ar desconfiado. Ela baixou a cabeça, e arrastou os passos.
E até hoje caminha pelas ruas, perguntando a quem calha onde está o que procura.

7 comentários:

PKB disse...

O teu texto faz-me lembrar o "Estou além" do António Variações.

É que o ditado "quem procura, sempre alcança" por vezes não inteiramente verdadeiro.

Beijocas!

R.L. disse...

fantástico. mais n digo. *

Leila* disse...

Se não caminhar pela rua, entre fumos, gentes e ruas, nunca vai encontrar o que procura. Não é em casa que aparece...* Gostei muito do texto. :)

Bom fim-de-semana (com ou sem coisas merdocas).

Beijinhos*

Drifting Along disse...

Very sweet but sad.

não deites beatas para o chão...

;)

pedro disse...

Tenho-me cruzado contigo pela chuva.

misskitsch disse...

Powerful shitz ;)

il lato nero disse...

PKB:
É verdade, nem sempre se alcança!

RL:
Obrigado!

Leila*
Sim, tb é verdade. E pelo caminho muitas vezes encontramos coisas erradas q achamos q são certas. Acho q faz parte.

Drifting Along:
;)

Pedro:
Eu sei querido!

misskitsch:
Thanks